Página Inicial Novidades Acontece

“Empoderando Refugiadas” do Pacto Global e Acnur inicia 3º edição em São Paulo

Por:  Miguel Pachioni, de São Paulo. | 9 Aug 2018

Foto: Fellipe Abreu

São Paulo, 09 de agosto de 2018 (ACNUR) – Mulheres que vieram da República Democrática do Congo, Síria e Venezuela estiveram juntas ontem, na sede do Grupo Mulheres do Brasil, em São Paulo, em busca de algo em comum: novos conhecimentos, informações sobre o mercado de trabalho e ampliação da rede de contatos para se qualificarem profissionalmente e buscar oportunidades de emprego condizentes com suas formações.

Com esse propósito, a Rede Brasil do Pacto Global, a Agência da ONU para Refugiados (ACNUR) e a ONU Mulheres lançaram o projeto “Empoderando Refugiadas”, já em seu terceiro ano. O projeto tem o objetivo de conscientizar as empresas sobre as amplas vantagens de contratação de pessoas refugiadas e preparar as mulheres para ingressar no mercado de trabalho brasileiro.

“Minha participação no projeto Empoderando Refugiadas ajudou a me fortalecer no Brasil. Sabemos que a chegada sempre é difícil, mas precisamos olhar para frente. Sou mãe de cinco filhos e batalhei desde o início em busca do sonho dentro de mim, sem desistir. A mulher é forte. Ela pode, ela consegue”, disse Prudence, congolesa participante do primeiro ano do projeto, em 2016, compartilhando suas conquistas e motivando o novo grupo de mulheres formado neste ano.

No primeiro encontro desta nova edição do projeto, que conta com o apoio das empresas ABN AMRO, Carrefour, Facebook, Pfizer, Renner e Sodexo, o grupo de 28 mulheres convidadas ouviu atentamente a experiência de Prudence e de Lucia, que também é refugiada congolesa e reafirmou a importância do projeto para esquecer as lembranças do passado que a fez deixar seu país de origem para se preparar para o futuro que ela almeja para si e sua família.

A venezuelana Vanessa Maria chegou ao Brasil há dois anos e já inicia o projeto com a expectativa de se recolocar no mercado de trabalho, onde atualmente trabalha com vendas em um pequeno comércio.

“Eu estou trabalhando no comércio de São Paulo, mas quero mais porque tenho experiência e muita motivação. Cheguei sozinha aqui no Brasil e minha família continua distante, na Venezuela. Quero trazê-los para viverem comigo porque a situação por lá não dá, está muito difícil”, disse.

Por meio do Programa de Apoio para a Recolocação do Refugiado (PARR), as mulheres que participaram do projeto foram contatadas, mostrando grande interesse e agradecimento por integrarem esta premidada iniciativa – o “Empoderando Refugiadas” recebeu o Prêmio Direitos Humanos 2016 do Ministério da Justiça. Além da histórica parceria com PARR, a empresa Fox Time Recursos Humanos e o Grupo Mulheres do Brasil são apoiadores do projeto.

Ao longo do dia, as mulheres participantes do projeto fizeram uma breve apresentação pessoal e conheceram as coaches que as acompanharão ao longo dos próximos quatro encontros, que acontecerão entre agosto e novembro deste ano.

Fonte: http://www.acnur.org/portugues/2018/08/09/projeto-empoderando-refugiadas-inicia-terceiro-ano-com-foco-na-empregabilidade-destas-mulheres-em-sao-paulo/